Quinta-feira, 23 de maio de 2024
informe o texto

Notícias Geral

BR-163

Rodovias federais de MT registram mais de 220 mortes e BR-163 está entre as mais perigosas

Em dois anos, as rodovias federais de Mato Grosso que mais registraram acidentes de trânsito são as BRs 163, 364 e 070. De janeiro a outubro de 2023, mais de 220 pessoas morreram nas estradas que cortam o Estado, de acordo com o levantamento da Polícia Rodoviária Federal (PRF). 

Este ano, já foram registrados o total de 1.805 acidentes de trânsito nas rodovias federais de Mato Grosso; deste número, 718 acidentes aconteceram na BR-163, na qual 94 pessoas perderam a vida. A rodovia é considerada uma das mais perigosas e mais movimentadas do estado com cerca de 850 quilômetros, que interliga a região dos municípios de Itiquira e Sinop. 

Na rodovia federal BR-364 (entre os municípios de Cuiabá e Rondonópolis), a PRF- MT já registrou 493 acidentes de trânsito; 51 deles com vítimas fatais. Na BR-070, que passa pelas cidades mato-grossenses de Barra do Garças, Primavera do Leste, Campo Verde, Cuiabá, Várzea Grande e Cáceres, foram contabilizadas 359 ocorrências graves no trânsito e 41 mortes no trecho.

Os dados da PRF ainda apontam que na BR-174, que inicia no município de Cáceres, foram registrados 129 acidentes e 29 deles com registro de óbitos. Já na BR-158, localizada na região nordeste de MT, foram 109 ocorrências de acidentes de trânsito, desse total 11 pessoas morreram.  

O chefe do Núcleo de Segurança Viária da PRF-MT, Henrique Candine conta que na maioria dos acidentes de trânsito, principalmente com registro de vítimas fatais, os condutores se arriscam em exceder na velocidade, na prática de manobras pouco calculadas e até mesmo proibidas pelas legislações de trânsito, além de não se atentarem a priorizar o planejamento antes de pegar a estrada.

“Nós identificamos como causas mais comuns nos atendimentos das fatalidades é que os condutores geralmente utilizam a ultrapassagem em faixa contínua. É o que causa a maioria das mortes nas rodovias, fator também aliado ao excesso de velocidade que contribui e agrava drasticamente todos os tipos de acidentes. Em alguns casos, quando veículos forçam ultrapassagens, o motorista joga o veículo do lado da via para o acostamento, gerando uma colisão grave que geralmente envolve mais veículos na rodovia”, pontua o policial rodoviário.  

Henrique Candine ainda pontua que os motoristas precisam se atentar e priorizar o planejamento e programação das viagens. “A falta de planejamento e de checagem da programação das viagens também colaboram com prejuízo nas pausas, para comer, ir ao banheiro. com isso, o condutor do veículo tentar recuperar o tempo de pausa, ocasionando sintomas de impaciência na hora de dirigir. Isso pode colaborar na prática de manobras perigosas e cruciais que podem levar a morte”.

 

A PRF-MT constatou ainda, mesmo diante de estatísticas tão preocupantes com relação aos registros de acidentes e mortes nas rodovias do Estado, o número apresenta uma leve redução em comparação ao ano de 2022.  

“Em relação ao ano de 2022, constatamos nas análises com uma quantidade menor destas fatalidades. Estamos intensificando a fiscalização nestes pontos onde identificamos que os motoristas costumam praticar manobras de risco”, explicou o chefe do Núcleo de Segurança Viária da PRF-MT, Henrique Candine.   

 
Sitevip Internet