Quinta-feira, 23 de maio de 2024
informe o texto

Notícias Política

Júlio compara prisão domiciliar para Carlinhos Bezerra a desastres ecológicos: "Decisão estapafúrdia"

A Justiça de Mato Grosso concedeu ao réu prisão domiciliar por apresentar problemas de saúde. MP vai recorrer da decisão.

O deputado estadual Júlio Campos (União Brasil) detonou a decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), que concedeu, durante plantão do último fim de semana, o benefício de prisão domiciliar ao empresário Carlos Alberto Gomes Bezerra, de 57 anos, que executou a ex-companheira e o então namorado dela a tiros, em Cuiabá.

O deputado comparou a decisão a desastres ecológicos de grande magnitude, causando descrédito ao judiciário mato-grossense.

 

"É um verdadeiro desastre ecológico, um verdadeiro incêndio no pantanal, uma enchente no Sul, que causa descrédito na Justiça", disse Júlio.

 

 

Carlinhos, que é filho do ex-governador e ex-deputado federal Carlos Bezerra, estava preso desde janeiro deste ano, pelo duplo homicídio confesso da ex-namorada, Thays Machado, e do então namorado dela, Willian César Moreno, em plena luz do dia em Cuiabá.

 

Na decisão da Segunda Câmara Criminal do TJ, os magistrados atenderam a um pedido da defesa, que alegou que o empresário tem problemas de saúde e por isso a necessidade do tratamento realizado em casa.

Apesar de entender que a decisão é cabível perante a lei, Júlio acredita que, para a sociedade mato-grossense, a "soltura" do réu foi concedida muito cedo.

"Juridicamente foi um ato que a lei permitia. Agora, socialmente e politicamente foi um desastre ecológico. Lamentavelmente a sociedade mato-grossense mais uma vez se revolta com essa decisão, que foi estapafúrdia, tomada no final de semana e que veio contrário ao que pensa a sociedade", declarou.

"Eu acho que foi muito cedo pra essa decisão ser tomada, menos de um ano do crime. Agora temos que acelerar o julgamento. Dentro da lei os desembargadores dizem o seguinte, que prisão preventiva é 89 dias, então nesse período o processo tem que ser concluído e marcado o julgamento. Não foi feito isso, não marcou o julgamento. Então, baseados na própria lei e ainda alegando problemas de saúde, foi tomada essa decisão", emendou.

MP vai recorrer

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPMT) garantiu que vai ingressar com um recurso para derrubar a decisão do Tribunal de Justiça que concedeu prisão domiciliar ao empresário Carlos Alberto Gomes Bezerra.

O crime

O duplo homicídio aconteceu no dia 18 de janeiro deste ano, na frente do prédio onde morava a mãe de Thays, no bairro Consil, em Cuiabá. Carlinhos Bezerra chegou em um Renault Kwid, parou e efetuou vários disparos contra as vítimas e fugiu em seguida.

O casal morreu ainda no local.

O empresário não aceitava o fim do relacionamento com a advogada e a perseguia de forma insistente há mais de um ano. Horas após o crime ele foi capturado na fazenda da família, em Campo Verde. 

 
Sitevip Internet