Quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024
informe o texto

Notícias Cidades

ARENÁPOLIS

Cadeia receberá fábrica de bloquetes e meio-fio para reintegração de detentos

A instalação de uma fábrica de bloquetes sextavados, meio-fio e pavers está prevista como parte de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado entre a Prefeitura da cidade, o Ministério Público e o Estado de Mato Grosso

 

A Cadeia Pública de Arenápolis está prestes a receber uma iniciativa inovadora que visa não apenas melhorar as condições estruturais da unidade, mas também proporcionar oportunidades de trabalho para os detentos. A instalação de uma fábrica de bloquetes sextavados, meio-fio e pavers está prevista como parte de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado entre a Prefeitura da cidade, o Ministério Público e o Estado de Mato Grosso.

Unidade receberá fábrica de blocos de concreto. No detalhe: Supervisor do GMF, desembargador Orlando Perri.

Atualmente, dos 60 presos na unidade, apenas 8 estão envolvidos em atividades laborais. A implementação da fábrica não apenas ampliará esse número, mas também oferecerá uma oportunidade significativa para a ressocialização dos detentos.

O Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e Socioeducativo de Mato Grosso (GMF-MT) desempenhou um papel crucial na articulação dessa iniciativa. O supervisor do GMF, desembargador Orlando Perri, ressaltou a importância da parceria entre a prefeitura, Ministério Público e Estado para a construção da fábrica dentro da própria unidade prisional.

O prefeito, Ederson Figueiredo, expressou otimismo em relação à colaboração entre as instituições. "Já começamos a desenhar uma parceria entre as instituições para a construção dessa fábrica dentro da cadeia", afirmou.

A presença do desembargador Orlando Perri foi celebrada pelo diretor da Cadeia Pública de Arenápolis, Gerson Martins da Silveira. Ele enfatizou a importância do Judiciário visitar pessoalmente as unidades prisionais, destacando que tais visitas são essenciais para pleitear melhorias estruturais e de trabalho.

"Aqui em Arenápolis nós temos duas turmas de ensino fundamental e médio, biblioteca, marcenaria e horta. Projetos que proporcionam a remição de pena, porém, é necessário investir também em garantir o cumprimento de pena em instalações melhores", explicou o diretor.

A inspeção contou com a presença da juíza titular da vara única de Arenápolis, Marina Dantas Pereira. Durante sua primeira semana de jurisdição na cidade, a magistrada participou da vistoria da unidade prisional.

"A presença do GMF aqui em Arenápolis me dá mais respaldo e a oportunidade de trocar experiências. Além de juíza, eu também sou corregedora de presídios e a vinda do GMF até aqui foi maravilhosa para me orientar quanto a essa nova função, para que eu possa fortalecer os vínculos e criar projetos para que possa ter mais ressocialização e ajudar na unidade prisional", afirmou a magistrada. A iniciativa representa um passo significativo na busca por métodos eficazes de reintegração e transformação positiva do sistema carcerário.

 
Sitevip Internet