Quinta-feira, 23 de maio de 2024
informe o texto

Notícias Política

CRISE ECONOMICA

Mato Grosso mantém o salário dos servidores em dia mesmo com a crise

Mesmo com a forte crise econômica que assola o país, Mato Grosso consegue manter o salário dos servidores públicos estaduais em dia. Atualmente, 21 estados encontram dificuldades para honrar os vencimentos do funcionalismo público, enquanto sete unidades da Federação atrasaram e até mesmo parcelaram os salários dos trabalhadores por falta de dinheiro.

Em novembro, o governo de Mato Grosso escalonou o pagamento da folha salarial para minimizar os efeitos da crise econômica. Os servidores que recebem até R$ 3 mil liquido, o que corresponde a aproximadamente 55% dos 105 mil servidores estaduais, receberam no último dia útil de outubro. No dia 8 de novembro, o Estado pagou os trabalhadores que recebem até R$ 6 mil liquido, o que corresponde a 35% dos servidores do Executivo Estadual, e no dia 10, o Governo quitou o 10% restante da folha.

Com isso, o Estado se manteve dentro da legislação estadual que estipula o dia 10 de cada mês como prazo legal para o pagamento dos salários dos servidores. Por conta da crise, desde 2015, Mato Grosso vem reduzindo as despesas, enxugando a máquina pública e buscando alternativas para atrair investidores para o Estado.

“O pagamento dos servidores é a nossa principal prioridade. Temos acompanhado o caixa dia a dia, para poder analisar melhor a situação. Este mês, conseguimos antecipar o pagamento de 35% da folha em dois dias”, afirmou o secretário de Estado de Fazenda, Seneri Paludo.

OUTROS ESTADOS

No Distrito Federal, a situação é bem mais complicada. Desde o primeiro semestre de 2015, a unidade já vem sendo obrigada a parcelar o salário de parte dos servidores. Em 2016, o Distrito Federal cancelou os reajustes das categorias e até o momento não há garantia de que os trabalhadores irão receber o 13º salário.

Minas Gerais ainda não confirmou se irá conseguir pagar o 13º salário. Desde fevereiro deste ano, o Estado tem escalonado o pagamento dos servidores, ainda assim, os pagamentos sofreram diversos atrasos e atualmente o Executivo retardou o inicio dos pagamentos em dois dias uteis.

No Rio Grande do Norte, os salários também tem sido pagos de maneira escalonada, ainda assim, os servidores vem sofrendo com os atraso. O pagamento dos salários do mês de setembro só foi concluído no dia 28 de outubro, enquanto para o pagamento do mês de outubro o governo não apresentou nenhum calendário. O governo estadual também não conta com garantia de pagamento do 13º.

O Rio de Janeiro é o estado com o quadro mais dramático. Sem dinheiro, o Executo decretou estado de calamidade e a anunciou um pacote de medidas radicais para tentar equilibrar as contas, como o aumento do desconto previdenciário de 11% para 14% e o desconto de 30% do salário de aposentados.

Desde 2015 o Estado vem atrasando rotineiramente a folha de pagamento. O governo do Rio, inclusive, já parcelou salários atrasados e parcelou o pagamento do 13º de 2015. Em 2016 a situação apenas piorou, o governo parcelou o salário dos servidores durante três meses seguidos e já trocou a data do pagamento duas vezes.  E desde Julho, uma decisão judicial tenta obrigar o Estado a realizar o pagamento dentro do prazo.

 
Sitevip Internet