• Diamantino, 04/04/2020
ENERGIA

Procon-MT orienta consumidores que questionam faturas de outubro

Se a leitura foi estimada, se o consumo está muito fora do normal para aquele período ou se houve acúmulo de leitura, o consumidor deve acionar a concessionária e o Procon.


A estação da seca acabou, as temperaturas baixaram e as contas de energia elétrica começaram a chegar. Com o calor excessivo de setembro, que resultou em aumento na conta de energia, é preciso ficar atento à fatura, alerta o Procon estadual. O primeiro passo é observar se a leitura foi de fato realizada ou se foi por média de consumo.


Tal informação deve constar na fatura de energia. Em um segundo momento, o consumidor precisa analisar seu histórico de consumo dos últimos meses, inclusive do mesmo período do ano anterior. Essas informações também estão nas contas. Outra dica é observar o número de dias faturados, que deve ser de 27 a 33 dias, no máximo.


Da mesma forma, o consumidor deve analisar a faixa de ICMS correspondente ao consumo do mês. Em Mato Grosso o ICMS é escalonado, ou seja, quanto mais quilowatts-hora são consumidos maior é a alíquota de imposto. Além disso, há o custo da bandeira tarifária, que em setembro deste ano foi a vermelha, patamar 1 (R$ 4,00 para cada 100 quilowatts-hora).



Se a leitura foi estimada, se o consumo está muito fora do normal para aquele período ou se houve acúmulo de leitura, o consumidor deve acionar a concessionária e o Procon, caso a empresa não apresente uma solução.


“Uma conta fora do normal para determinado período, se não questionada, vai impactar no histórico de consumo daquela unidade consumidora e, consequentemente, em possíveis faturamentos por média que forem realizados”, alerta a secretária adjunta do Procon-MT, Gisela Simona.


De acordo com o engenheiro eletricista Teomar Estevão Magri, de forma geral, o calor excessivo influência em cerca de 20% o consumo de energia – isso com os aparelhos de ar-condicionado sendo utilizados dentro da mesma quantidade de horas de dias normais. O mesmo acontece com as geladeiras, que também consomem mais energia para manter a temperatura programada em dias muito quentes.


“Se mantiver as mesmas condições de funcionamento, cada grau a mais na temperatura ambiente aumenta em 3,5% o consumo de energia”, explica o engenheiro, que também é membro do Conselho de Consumidores de Energia Elétrica do Estado de Mato Grosso (Concel-MT).


Somado a isso, existe o consumo de energia por horas a mais em funcionamento, principalmente no caso de ar-condicionado, ventilador, umidificador de ar e chuveiro, além da alíquota de ICMS e bandeira tarifária.


Serviço


Reclamações referentes a faturas de energia elétrica podem ser feitas diretamente em uma unidade do Procon ou pelo site www.consumidor.gov.br .

Veja também

'NAO PODE PARAR' Planalto pede fim de isolamento e Bolsonaro posta vídeo de carreata
EXTRAJUDICIAL 22 cartórios têm parentes de antigos delegatários; arrecadam até R$ 19 mi
NOVA CHANCE Estado gera mais de 250 vagas de trabalho a reeducandos de MT
BOTELHO Botelho participa de mais um projeto Ribeirinho Cidadão e conclama agronegócio para ajudar
MODELO MERCOSUL Mudança para o novo padrão de placa veicular será de forma gradativa
CONSTRANGIMENTO Bradesco deve pagar R$ 10 mil a cliente sem braço obrigado a assinar documento
Publicidade

Copyright © 2013 - 2020 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados