• Diamantino, 27/02/2020
COBRANÇA DE CRÉDITO

Projeto proposto na AL fixa prescrição de 2 anos em processos tributários em MT

Pela proposta, será acrescentado um novo artigo na Lei 8797/2008


Fotografia: Ronaldo Mazza




Os processos administrativos tributários em Mato Grosso paralisados pelo período igual ou superior a dois anos por inércia exclusiva do Estado deverão ser declarados prescritos, evitando assim que o Governo estadual tenha prazo eterno para cobrar administrativamente ou judicialmente dívidas financeiras de pessoas físicas e jurídicas.


A prescrição no direito tributário é a perda do direito da Fazenda Pública ajuizar a ação de execução contra o contribuinte, seja ele de fato ou de direito. Ou seja, o Fisco perde o direito de cobrança sobre o crédito tributário não pago, e não poderá mais exigi-lo em decorrência do decurso do tempo.


Esse é o teor do Projeto de Lei (PL 1142/2019), de autoria do deputado Wilson Santos (PSDB), protocolado na Assembleia no dia 24 de outubro.


Pela proposta, será acrescentado um novo artigo na Lei 8797/2008, que regulamenta o processo administrativo tributário no âmbito de Mato Grosso.


“A demora excessiva nas decisões dos órgãos julgadores, sem qualquer justificativa plausível, lhes causa sérios transtornos, tais como o acúmulo de juros que muitas vezes acabam por ultrapassar de forma significativa o valor do principal, sendo indevida a permanência por tempo demasiado na incerteza da cobrança do crédito tributário”, diz um dos trechos do projeto de lei.


O parlamentar ressalta ainda que sua proposta de instituir o prazo prescricional para cobrança de créditos tributários está em consonância com a Constituição Federal, uma vez que, o artigo 5º, que aborda garantias e direitos fundamentais, assegura que “a todos, no âmbito judicial e administrativo, são assegurados a razoável duração do processo e os meios que garantam a celeridade de sua tramitação”.


Veja também

SENADOR ACom as candidaturas de Pivetta, Fávaro e Júlio, Mauro ficará neutro, afirma Botelho
LONGEVIDADE NO PODER Carvalho elogia Botelho, mas garante que Paiaguás não interfere por reeleição na AL
REGULARIZAR TRE muda prazos para regularizar quase 600 mil títulos e evitar ausências em eleição suplementar
VIAGEM PARA A ESPANHA MPE apura se conselheiro recebeu diárias internacionais a mais
ELEIÇÕES 2020 Zé Gazzeta oficializa apoio a Cleber Soares
LUTO Morre Benedito Caetano Botelho, pai do presidente da ALMT deputado Eduardo Botelho
Publicidade

Copyright © 2013 - 2020 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados