• Diamantino, 27/02/2020
DÍVIDA ELEITORAL

Justiça manda PSDB para o Serasa e “salva” chácara de deputado de MT

Produtora de vídeo cobra cerca de R$ 2 mi de serviços prestados da campanha de Wilson Santos em 2016


 


O juiz da 7ª Vara Cível de Cuiabá, Yale Sabo Mendes, determinou a inscrição do Diretório Municipal do PSDB no Serasa em razão do não pagamento de uma dívida de R$ 2,2 milhões do deputado estadual Wilson Santos (PSDB), assumida pela sigla. As contas do partido na Capital também foram bloqueadas. A decisão é do último dia 4 de dezembro.


A medida pode “salvar” uma chácara do próprio Wilson Santos, que foi penhorada pela Justiça em razão do não pagamento da dívida, oriunda das eleições de 2016, quando Santos foi candidato a prefeito de Cuiabá – sendo derrotado por Emanuel Pinheiro (MDB).


“Defiro a exclusão do polo passivo desta execução de Wilson Pereira dos Santos. Promova-se as retificações pertinentes, inclusive relativas ao Serasa e anotações premonitórias desta execução à margem de matrículas de imóveis de propriedade do executado. Outrossim, defiro as buscas via convênio Bacenjud em desfavor do executado PSDB – Diretório Municipal. Mantenha-se o processo em gabinete até que se processe a ordem de bloqueio expedida”, diz trecho da decisão.


De acordo com informações do processo, a campanha de Wilson Santos contratou a Monkey Filmes, de Cuiabá, no ano de 2016, para a prestação de serviços de mídia do candidato – como a captação de imagens e áudios para a elaboração de inserções na TV e também no rádio. Considerando o 1º e o 2º turno, o negócio à época foi fechado em R$ 1,7 milhão – posteriormente atualizado para R$ 2,2 milhões.


Porém, de toda a dívida, apenas R$ 280 mil foi paga. Como forma de garantir o pagamento do débito, a Justiça, então, determinou a penhora de uma chácara de Wilson Santos. O PSDB de Cuiabá tentou reaver o imóvel dizendo que iria cobrir o “calote” – o que não ocorreu.


A decisão de Yale Sabo Mendes, porém, determinou a "retificação" das averbações de indisponibilidade dos imóveis de Wilson Santos – ou seja, a chácara pode retornar à propriedade do deputado estadual.


Wilson Santos obteve 103.483 votos nas eleições de 2016 (39,59%). Ele acabou derrotado por Emanuel Pinheiro, que somou 157.877 votos (60,41%).

Veja também

SENADOR ACom as candidaturas de Pivetta, Fávaro e Júlio, Mauro ficará neutro, afirma Botelho
LONGEVIDADE NO PODER Carvalho elogia Botelho, mas garante que Paiaguás não interfere por reeleição na AL
REGULARIZAR TRE muda prazos para regularizar quase 600 mil títulos e evitar ausências em eleição suplementar
VIAGEM PARA A ESPANHA MPE apura se conselheiro recebeu diárias internacionais a mais
ELEIÇÕES 2020 Zé Gazzeta oficializa apoio a Cleber Soares
LUTO Morre Benedito Caetano Botelho, pai do presidente da ALMT deputado Eduardo Botelho
Publicidade

Copyright © 2013 - 2020 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados